Customer Experience

Microinterações no mobile: será que substitui a ação humana?

Por: Mutant, maio 3, 2022

Mesmo quem não é heavy user de redes sociais já seguiu alguém no Instagram, deu um like no Facebook ou se inscreveu em um canal do YouTube. Básico, né? Você sabia que todas essas formas de engajamento envolvem microinterações?

Nunca tinha pensado nisso? Não se preocupe, pois hoje vamos te deixar a par das informações mais relevantes sobre microinterações no mobile. Este conteúdo vai mudar a maneira como você vê seus aplicativos. Não perca!

O que são microinterações no mobile?

Trata-se de pequenos pontos de interação do usuário com o design do aplicativo em que ele obtém um retorno que confirma a ação realizada. Apesar de simples, esse conceito não pode — nem deve — ser ignorado, afinal ele está relacionado a uma questão que ganha cada vez mais importância: a experiência do usuário (UX). Com tantos apps e sites na web oferecendo serviços, não seria diferente, uma vez que facilitam o uso.

Pra que servem?

Basicamente, microinterações no mobile servem pro usuário receber um retorno sobre as diversas ações realizadas sem mudar de tela e realizar uma consulta ou criar um relatório pra ter ciência do resultado. Os objetivos mais comuns atribuídos a elas são:

  • gerenciar o andamento de uma tarefa;
  • chamar a atenção;
  • ajustar as configurações;
  • mostrar ou criar conteúdos;
  • acionar ou encerrar uma função ou recurso.

Como criar microinterações no mobile?

O desenvolvimento de microinterações no mobile é parte do design de serviços e deve ser focado na experiência do usuário. Veja algumas dicas a seguir!

Planeje a funcionalidade

Pra começar com o pé direito, é necessário planejar cada funcionalidade que deve ser implementada. Só assim é possível visualizar quais microinterações precisam ser criadas pra responder às ações do usuário.

Defina o gatilho

O modo de acionar a microinteração também é muito importante, principalmente pro UX design. Cliques, digitação, atalhos, condições etc. As possibilidades são muitas, mas nada de complicar, viu? Lembre-se: o objetivo é ser simples.

Estabeleça uma ordem

Ter clareza sobre a ordem de fatores, ações e efeitos que compõem o processo, desde o acionamento do gatilho até o retorno, ajuda a evitar problemas no funcionamento das microinterações no mobile ou a torná-las mais eficientes.

Integre-as às funcionalidades

Já falamos que as microinterações estão ligadas à experiência do usuário. Assim, elas precisam ser orgânicas, intuitivas e acessíveis, fazendo parte das funcionalidades do aplicativo de forma natural.

Concilie utilidade, eficiência e desejabilidade

Não adianta ser eficiente se não for útil para melhorar a usabilidade — e vice-versa. Ou seja, não basta colocar uma microinteração que não agregue. Nesse sentido, ir além e torná-la desejável é o ápice. Mais do que precisar daquela experiência pra utilizar o aplicativo, o usuário quer tê-la.

Não seja repetitivo

Imagens, animações ou textos usados pra oferecer um retorno são associações mentais com o que se quer informar. Esse fator inconsciente deve ser levado em conta na hora de elaborar o design, evitando repetir um recurso em operações distintas. Se não, o resultado é confusão na certa.

Execute testes

Pra ter certeza de que as microinterações funcionam e geram os resultados esperados, não tem jeito: só testando. Desse modo, também são descobertas situações problemáticas que não foram previstas ou insights pra melhorias.

Como elas são estruturadas?

A estruturação das microinterações no mobile não é complicada. Confere aí!

Trigger

O gatilho que inicia a microinteração é o meio de acionamento. Tanto ocorre a partir de um comando do usuário como automaticamente ao atingir determinadas condições predefinidas.

Rules

As regras determinam como a microinteração precisa ser programada. Elas guiam o sistema em um fluxo de causa e consequência, no qual ele sabe o que fazer diante de cada possibilidade.

Feedback

Imagens, textos, toques, vibração, acendimento de uma luz, animação, notificação… O retorno pode surgir de diferentes maneiras pra confirmar que a interação foi realizada, indicar seus efeitos ou que algo precisa ser feito, expondo as regras pro usuário.

Loops 

O loop tem relação com a duração das microinterações. Esse elemento serve pra conferir continuidade. Pra isso, sua configuração deve indicar prolongamento, alteração ou repetição.

Modes

Os modos são usados nas interrupções críticas — pedir informações, pular etapas etc. — ou nas mudanças — novo status ou alteração de configuração, por exemplo.

Qual é a importância de utilizar microinterações?

Se você pensar bem, receber um retorno por si só já é uma forma de comunicação. Isso estabelece um relacionamento entre pessoas e softwares. Esse esforço é reconhecido e visto com bons olhos.

Assim, as microinterações afetam a experiência de uso de maneira positiva, tornando-a mais humana e até mesmo pessoais. Como resultado, o engajamento com o aplicativo tende a aumentar.

É claro que um emoji de abraço não substitui o contato real. Porém, em tempos em que o digital e o físico se misturam, uma resposta que atinja emocionalmente o usuário é bastante valorizada.

Desse modo, a importância das microinterações no mobile é tanto prática — ao facilitar o entendimento e o uso da tecnologia — quanto emocional — ao imitar a interação humana.

Quais são as vantagens?

Modelos de negócios digitais que contam com aplicativos pra celulares em sua estratégia comercial precisam perceber o papel das microinterações no mobile se quiserem se destacar da concorrência. Mais que isso, lançar mão delas têm diversas vantagens, como:

  • melhorar a usabilidade na prática, servindo de guia pelo fluxo, agregando recursos ou funcionalidades e agilizando processos;
  • tornar a experiência intuitiva e agradável, transformando tarefas simples em vivências emocionais;
  • gerar uma percepção de valor sobre o app, tornando-o divertido, original e diferenciado;
  • dialogar com o usuário e influenciar seu comportamento.

Não podemos dizer que as microinterações no mobile substituem a ação humana. Entretanto, elas causam emoções como pessoas. Esse é o principal meio pelos quais as empresas podem se diferenciar da concorrência e se destacar.

Esses pequenos pontos de interação que acontecem a todo momento até passam despercebidos ao navegar por aplicativos, mas são um trunfo e tanto pra otimizar a experiência do usuário.

Viu como as microinterações e a UX estão ligadas? Então, entenda a importância do User Experience para o sucesso do seu negócio!

    • Receba nosso conteúdo em primeira mão.