Customer Experience

Guia do employee experience em tempos de crise

Por: Mutant, junho 30, 2020

Falar em employee experience (EX) em tempos de crise é tratar de um dos temas que está em evidência no mercado. Em razão das inúmeras dúvidas e incertezas geradas pela pandemia, as empresas estão verdadeiramente colocando suas estratégias à prova, na tentativa de manter os colaboradores engajados e produtivos.

O employee experience se tornou então uma prática ainda mais relevante no universo corporativo. Como os colaboradores são fortemente impactados nesse momento, isso exige atenção especial por parte das lideranças e dos setores de RH.

Diante disso, é preciso saber de que modo agir para manter uma boa experiência do capital humano, mesmo perante dificuldades e incertezas. Pensando nisso, preparamos este conteúdo para refletir sobre como é possível otimizar o employee experience em tempos de crise. Acompanhe!

O que caracteriza employee experience?

De forma simples, o termo employee experience, em português, pode ser traduzido como “experiência do funcionário”. Como você deve imaginar, é um conceito que carrega uma série de semelhanças com outro termo bastante utilizado no mercado, que é o de customer experience (CX).

O CX tem uma abordagem voltada para a qualificação da experiência do consumidor ao se relacionar com produtos e serviços de uma empresa. Já EX apresenta uma abordagem mais restrita, focada no público interno, isto é, seu capital humano.

Pode-se dizer que employee experience é um conjunto de boas práticas e de interações que ocorrem ao longo da jornada do colaborador. O objetivo é criar um ambiente de trabalho agradável, motivador e capaz de contribuir diretamente para o crescimento pessoal e profissional de cada funcionário.

Existem diferentes práticas e atributos que caminham lado a lado com o conceito de employee experience. Questões como liderança inspiradora e colaborativa, alinhamento com a cultura empresarial, humanização das relações, compartilhamento de objetivos claros e valorização do crescimento individual são exemplos determinantes para uma boa experiência do funcionário.

Qual é a importância dessa estratégia em momentos de crise?

Em cenários como o atual, a importância do employee experience se apresenta de diferentes formas. Inicialmente, esse conceito é uma das bases para manutenção de bem-estar e saúde do colaborador, sobretudo em meio às dúvidas e incertezas que podem ocupar a sua rotina, gerando um quadro de desengajamento e ansiedade.

Indo além, o EX também demonstra sua importância ao valorizar o capital humano, estreitando a relação entre a gestão e os funcionários.

Em razão da pandemia, as projeções de carreira têm sido preocupações centrais dos colaboradores. O medo de serem desligados, perderem renda e passarem por dificuldades afeta diretamente a motivação para o trabalho e a produtividade, o que não é algo positivo a nenhum dos lados.

O employee experience garante a formulação de um ambiente interno mais acolhedor e transparente. Os colaboradores são tidos como protagonistas nas ações e decisões da empresa.

Quais são os impactos da prática diante da crise do coronavírus?

Por causa do isolamento social, é comum que os profissionais sintam falta da convivência com outras pessoas durante a rotina. Nesse ponto, o employee experience é capaz de agregar benefícios, visto que parte dos colaboradores pode precisar de apoio e orientação para se adaptar ao trabalho remoto.

Uma estratégia de EX que priorize ações de adaptação para os colaboradores pode tornar o momento de transição tranquilo, minimizando o desgaste dos recursos humanos. Além disso, existem outros impactos positivos que podem ser gerados pela qualificação da experiência do funcionário, como:

  • reforço do Employee Engagement;
  • melhoria da atração e retenção de talentos, sobretudo em um período em que as empresas precisam muito dos seus funcionários;
  • garantia da qualidade do processo de onboarding;
  • equilíbrio do clima entre as equipes, evitando a instalação de uma cultura de medo, insegurança e ansiedade;
  • redução de absenteísmo e prejuízos causados pelo afastamento dos colaboradores;
  • aumento da produtividade.

Como assegurar o bem-estar da equipe em um momento tão difícil?

Apesar dos desafios do atual cenário, gestores e líderes ainda podem adotar medidas para minimizar os reflexos gerados pelo coronavírus dentro e fora das empresas. Essas ações têm uma íntima relação com o conceito de employee experience.

Destacamos algumas das ações que podem ser adotadas para assegurar o engajamento da equipe, a produtividade e o bem-estar no trabalho nesses tempos. Confira!

Liberação para home office

O home office tem sido uma das estratégias mais utilizadas pelas empresas para contornar as limitações geradas pelo coronavírus. Inclusive, em alguns setores, o home office era uma prática de mercado antes da pandemia. E em razão do isolamento social, esse modelo de atuação vem apontando possibilidades inovadoras para o futuro.

Mesmo quando a crise estiver controlada, a possibilidade de trabalho de casa poderá ser um suporte estratégico interessante. A implementação do home office na cultura da empresa tende da fortalecer o bem-estar geral dos funcionários.

Veja alguns pontos favorecidos pelo modelo:

  • prevenção de riscos e manutenção da renda em períodos de crise;
  • flexibilização dos horários, permitindo aos colaboradores mais tempo para o autocuidado;
  • redução de ansiedade e estresse relacionados aos deslocamentos diários para o escritório;
  • possibilidade de profissionais de diversas localidades desbravarem o seu potencial remotamente com empresas localizadas nos grandes centros.

Suporte para a operação remota

Não basta comunicar que o trabalho será realizado de casa e deixar os funcionários sem orientação. É essencial fazer um planejamento global da empresa para o home office.

Disponibilizar aparelhos e mobiliário do dia a dia do colaborador, para ele criar um ambiente de trabalho a distância, é essencial. Isso passa por organizar a logística para o envio de itens como notebooks, monitores e cadeiras.

Outra ideia é manter um kit permanente de onboarding, dedicado tanto a colaboradores novos quanto antigos. É uma forma de dar boas-vindas a todos ao novo formato de trabalho e criar noção de pertencimento.

Estímulo a descontração e lazer

É importante que os gestores não deixem de considerar que o home office também pode interferir na experiência do colaborador. A falta de convivência e relacionamento são pontos que podem pesar negativamente, ainda mais no contexto de pandemia.

Uma alternativa é promover momentos de distração, mesmo que remotamente. Como exemplo, a empresa pode realizar happy hours, bate-papos e tarefas para manter a integração dos funcionários, cada um do conforto de sua residência.

Manutenção de um diálogo constante com as equipes

A comunicação adequada é indispensável durante o isolamento social. Em razão das diversas alterações causadas na estrutura dos modelos de negócio, existem pontos sobre os quais os colaboradores têm ainda mais necessidade de se manter informados, como é o caso das finanças e projeções para a carreira.

Como vimos, muitos profissionais se sentem apreensivos em relação ao futuro, ao seu emprego e ao que os aguarda. Por isso, o fortalecimento da comunicação, agora, é essencial. A transparência reduz diretamente o desgaste do período, além de demonstrar respeito e preocupação com o capital humano.

Tão importante quanto reforçar as estratégias de employee experience em momentos de crise é manter um diálogo claro, ético e frequente com as equipes, orientado-as e informando-as sobre questões trabalhistas, como:

  • antecipação de férias;
  • salários;
  • cortes de custos e de pessoal;
  • medidas de minimização dos efeitos da crise.

Reforço das ações de prevenção

Além dos pontos citados, é fundamental destacar a importância que as ações de prevenção têm sobre o bem-estar dos profissionais. Especialmente para aqueles que seguem atuando em escritórios, vale investir em medidas que minimizem os riscos de contaminação.

Entre elas, estão: uso de equipamentos de proteção, protocolos de segurança e regras de convivência internas. Além do reforço às orientações sobre como proceder dentro e fora das instalações da empresa. Essa preocupação com o funcionário garantirá uma melhor experiência ao longo da rotina de atividades.

O employee experience em tempos de crise se torna uma prática relevante para a gestão da força de trabalho. O EX é o caminho certo para a manutenção da produtividade, a motivação e o respeito aos colaboradores, colocando-os como figuras centrais em todas as decisões de negócio.

O que achou deste conteúdo? Tem dúvidas sobre o tema ou gostaria de compartilhar suas impressões? Deixe seu comentário aqui!

    • Receba nosso conteúdo em primeira mão.