Marketing

Remarketing: saiba o que é e como pode aumentar suas vendas

Por: Mutant, setembro 3, 2019

Atualmente, existem diversas ferramentas que apoiam os processos de atração, conversão e relacionamento de uma empresa com o seu consumidor. Uma delas é o remarketing, tema deste post especial.

A expansão da internet e a presença cada vez mais significativa da tecnologia na vida das pessoas fizeram com que a jornada de compra do consumidor se tornasse muito diferente do que era há alguns anos. As pessoas estão bem mais ativas e independentes, navegando em seus sites preferidos, seja no computador, seja no smartphone, e assim realizando pesquisas e intenções de compra a todo tempo, a partir de qualquer lugar.

O cenário de transformações motivou o desenvolvimento de ideias, recursos e metodologias novos para auxiliar as buscas dos usuários. Em decorrência disso, as empresas estão cada vez mais envolvidas em desbravar essas novidades para encarar o desafio de desenhar o caminho do sucesso e vencer a concorrência.

Pensando nisso tudo, preparamos este conteúdo especial. A ideia é que ele sirva como seu guia de remarketing, para que você consiga entender melhor sobre o assunto e ter uma fonte para consultar quando tiver dúvidas. Então, vamos lá?

O que é remarketing

Nada melhor do que começar este guia trazendo o conceito de remarketing, certo? Perceba que a palavra remarketing é composta pelo prefixo “re” junto da palavra “marketing”, sendo que o “re” traz o significado de repetição, ou seja, de fazer algo mais de uma vez, neste caso, o marketing.

Logo, remarketing nada mais é do que fazer uma nova tentativa de marketing para a mesma pessoa. Inclusive, trazemos aqui que sua real intenção é impactar frequentemente aqueles que demonstraram interesse em adquirir um produto que encontraram em um site, por exemplo.

Há diversas possibilidades de fazer remarketing, e as mais comuns são por e-mail ou então por anúncios em sites e redes sociais. Em todos os casos, o remarketing tem a intenção de reativar a base de leads (contatos) ou de clientes, incentivando-os a tomar alguma decisão, que, na maioria dos casos, é a de efetivar uma compra.

Alguns exemplos de ações de remarketing podem ser:

  • um e-mail para lembrar que o cliente deixou o carrinho de compras cheio e não finalizou a compra;
  • uma newsletter informando sobre promoções ou cupons de desconto no site;
  • a promoção que fica “perseguindo” o consumidor em todos os sites que ele entra.

Por que utilizar?

A vida do consumidor está cada vez mais integrada ao espaço web, que oferece inúmeras possibilidades de ofertas e compras de qualquer produto ou serviço. Mas a vida das pessoas está mais corrida também, então, o tempo para conquistar um cliente é muito escasso e, portanto, precioso. As estratégias, mais do que nunca, precisam ser alinhadas aos reais desejos do consumidor.

Mesmo assim, o cenário faz com que não seja fácil converter um usuário logo de cara, em sua primeira visita ao site. Os motivos para isso são diversos, desde a falta de confiança na loja até as distrações que podem ocorrer durante a navegação.

O remarketing ajuda a melhorar essa questão, atuando na conversão de vendas. O portal WorldStream é otimista no assunto: segundo a publicação especializada em publicidade online, as taxas de conversão do remarketing aumentam ao longo do tempo. Isso quer dizer que alguém que viu um mesmo anúncio algumas vezes tem maior probabilidade de clicar nele e, assim, gerar a tão esperada conversão.

Como funciona?

Uma campanha de remarketing funciona da seguinte maneira:

  1. vamos supor que uma pessoa está procurando por um tênis no Google — ela digita o nome, a cor e o modelo e clica em um anúncio na página de resultado da pesquisa;
  2. ao entrar no site escolhido, um cookie (que é um mecanismo de identificação de usuários) é armazenado no seu navegador, possibilitando que o Google acompanhe e identifique o usuário posteriormente;
  3. desse modo, quando o usuário entrar em outro site ou rede social, anúncios do site da loja de tênis podem aparecer para ele.

Utilizando o remarketing, é possível que a pessoa seja impactada por novos anúncios durante um bom tempo, para que possa finalmente tomar a decisão de compra. No geral, o período de remarketing é de aproximadamente 30 dias, mas, dependendo da ferramenta utilizada, pode variar para mais ou para menos.

Tipos de remarketing

Agora, vamos falar um pouco mais sobre dois dos principais tipos de remarketing que podem ser utilizados para converter leads: mídia paga e e-mail marketing.

Mídia paga

A primeira maneira de fazer remarketing é utilizando ferramentas de mídia paga para direcionar anúncios diversos aos usuários que entraram no site e, por algum motivo, não finalizaram o pedido. Nesse caso, podemos dizer que é possível identificar quais deles têm um grande potencial de compra.

É importante destacar também que a frequência de anúncios é bem maior do que uma simples campanha de ads, como estamos acostumados, mas algo que ajuda com que a taxa de conversão seja maior que anúncios em geral.

Assim, é possível que o consumidor que está interessado no seu produto não se esqueça da oferta do seu site tão cedo.

E-mail

Outra maneira de fazer remarketing é utilizando técnicas de e-mail marketing. Nesse caso, é preciso um planejamento mais completo e consciente, visto que será baseado na sua lista de leads, bem como nas ações que foram realizadas no seu site.

Podemos citar como exemplos dessas ações:

  • inscrição no mailing do blog;
  • solicitação de um cupom de desconto;
  • compras acima de um certo valor;
  • seleção de itens para o carrinho de compra, mas sem efetivação de pagamento;
  • download de algum material rico (e-book, infográfico, planilha, dentre outros).

A ideia aqui é segmentar leads e clientes de modo eficiente para fazer a campanha certa. Inclusive, é possível trabalhar isso com clientes que já fizeram uma compra, sugerindo que adquiram outros produtos ou serviços. Podemos dizer, inclusive, que isso nada mais é do que um pós-venda eficiente, fortalecendo também a experiência do cliente.

4 vantagens do remarketing

Agora que você já sabe mais sobre o remarketing, vamos falar com mais detalhes sobre os benefícios. Para isso, criamos uma lista com as vantagens mais claras sobre o uso dessa prática. Confira quais são elas.

Alcançar usuários nas suas diferentes etapas de compra

Já não é mais novidade que comprar pela internet se tornou um hábito dos brasileiros. Porém, o que muitos ainda não sabem é que a jornada de compra do consumidor online é recheada de etapas, sendo um pouco mais complexa do que a offline, podendo contar com diversos desvios ao longo do processo.

Dentre essas etapas, podemos listar alguns exemplos: a pesquisa para resolver um problema na sua vida ou encontrar oportunidades, a busca por soluções para resolver esse problema, a intenção de compra, a pesquisa de produtos e serviços, bem como a aquisição de um item mais uma vez.

Saiba que o remarketing consegue atuar em todas essas etapas, trazendo clientes em diferentes estágios do funil, desde a atração até a fidelização.

Aumentar as conversões de vendas

Destacamos também que o grande objetivo do remarketing está muito alinhado com o título deste post: aumentar as vendas! Isso é feito de uma maneira bem lógica, pois dificilmente um cliente faz a compra logo na sua primeira pesquisa, a não ser que tenha muita certeza do que procura.

Até porque, na maioria das suas pesquisas, o usuário ainda está entendendo quais são as suas opções e está buscando uma base para comparação. Então, as ações de remarketing ajudam a lembrar que o produto existe e, depois de alguns dias, que ainda está disponível.

Portanto, a contribuição do marketing é justamente a de aumentar a conversão dos visitantes nos sites de compras, tornando-os clientes de fato.

Aproximar a marca e o consumidor

Outra grande vantagem é que o remarketing ajuda a empresa a estar mais próxima do consumidor, visto que permite troca de mensagens com tom de voz personalizado e pessoal. Em campanhas de e-mail, por exemplo, é possível chamar o consumidor pelo primeiro nome.

Pode parecer apenas um detalhe, mas isso importa muito para o consumidor, que vive em um momento em que o atendimento de qualidade é significativo para a sua vida. Isto é, as pessoas demandam, hoje, um tratamento especial no relacionamento com as marcas e os produtos que consomem.

Então, essa possibilidade de personalização que o remarketing traz ajuda a tornar a empresa mais presente no dia a dia dos consumidores. Esse ponto é um grande diferencial competitivo para qualquer marca.

Complementar as vendas

Outra vantagem muito relevante do remarketing está na complementação da venda. Estamos falando de poder oferecer produtos ou serviços adicionais para um cliente que já realizou uma aquisição. Isso é algo muito importante para o processo de fidelização de clientes, estimulando compras recorrentes.

Por exemplo, se um cliente comprou um calçado em uma loja virtual e tem um par de meias à venda que pode casar bem com o primeiro produto escolhido por ele, por que não fazer uma campanha de remarketing oferecendo o segundo item? Deu para ter uma noção de quantas combinações entre produtos uma loja pode oferecer, não é mesmo?

Principalmente para quem trabalha com e-commerce, sabemos que o custo de aquisição do cliente é coberto somente depois da segunda venda. Ou seja, utilizar o remarketing também é uma ótima maneira de compensar essa questão, trazendo mais tranquilidade financeira para a empresa.

Como fazer campanha de remarketing

Entrando um pouco mais na parte prática, vamos falar sobre como é possível executar uma campanha de remarketing utilizando essas duas ferramentas que estão à nossa disposição: o e-mail e a mídia paga.

A seguir, veja um passo a passo para cada uma dessas possibilidades e o modo de combiná-las com as técnicas de inbound marketing.

Ações de e-mail marketing

Vamos começar apresentando uma das maneiras mais simples de investir em remarketing: realizando ações de e-mail marketing. Acompanhe esta sequência:

  1. elabore um planejamento e um mapeamento dos leads conforme os estágios em que eles se encontram no seu funil de vendas;
  2. crie as segmentações com esses leads e defina qual será a ação para cada um deles, ou seja, que tipo de e-mail será enviado;
  3. estruture cada e-mail conforme o estágio do funil, não se esquecendo de que é importante levar em consideração o conteúdo e a abordagem antes de disparar a comunicação.

Obviamente, não é nada fácil fazer isso à mão. Logo, o recomendado é usar uma ferramenta de automação de e-mail para essa ação. Vamos explicar mais sobre esse recurso no próximo tópico.

Uso de ferramentas de mídia paga

Assim como já falamos, é possível fazer remarketing com uma ferramenta de mídia paga. Entenda, então, como é possível fazer isso usando o Google Adwords:

  1. instale a tag do Google Adwords no seu site (entrando no menu “Origens de público-alvo”, clique em “CONFIGURAR TAG” e siga as instruções);
  2. acesse a lista de usuários que acessaram o site (isso é possível porque a tag consegue identificar essas pessoas). Para tanto, clique em “Gerenciador de públicos-alvo” e, depois, em “Lista de públicos-alvo”;
  3. crie uma lista baseada nos cookies e nas regras que estão disponíveis no menu.

Saiba que você pode fazer quantas listas quiser conforme a lógica de visitas no seu site. Feito isso, basta utilizar a lista para criar uma campanha de mídia paga como qualquer outra.

Tenha em mente que há outras ferramentas que podem ser utilizadas para essa finalidade. Também vamos falar sobre elas no próximo tópico.

Combinação com o inbound marketing

Por fim, trazemos aqui a possibilidade de integrar o remarketing com o inbound marketing para criar uma estratégia de marketing digital eficiente. Caso você queira e seja possível, pode utilizar os conceitos do Marketing 360, inclusive. A ideia, aqui, é promover conteúdos ricos (e-books, infográficos, dentre outros materiais) que podem ser acessados por meio da conversão em uma Landing Page.

O objetivo é conseguir captar aqueles leads que consumiram somente um conteúdo do seu site ou blog e não retornaram mais. Ou seja, é possível trabalhar no reengajamento desses leads, ajudando até mesmo a acelerar a sua jornada de compra.

Essa é uma ótima oportunidade para motivar o consumidor a tomar a sua decisão o quanto antes e avançar de estágio no seu funil de vendas. Uma vantagem de fazer essa aplicação é por meio da construção do relacionamento, antes mesmo de realizar a venda.

6 ferramentas usadas para fazer remarketing

Depois de falarmos como você pode aplicar o remarketing na sua empresa, vamos finalizar este guia com uma lista de sugestões de ferramentas que podem ser utilizadas para aplicar esse conceito na sua realidade, bem como nas ações que envolvem o remarketing no seu mundo prático.

Tenha em mente que existe uma quantidade significativa de ferramentas e que é preciso entender quais delas se adequam melhor à sua empresa e ao seu objetivo.

1. Facebook Ads

Uma das principais plataformas online que tem o objetivo de gerar vendas é o Facebook, rede social com expressivo número de usuários. Nesse contexto, você já deve saber que há uma ferramenta de publicidade dentro da mídia social que se chama Facebook Ads, certo?

Então, saiba que o Facebook Ads oferece a possibilidade de criar anúncios utilizando o remarketing. Os ads são exibidos conforme a segmentação criada, tanto na linha do tempo dos usuários quanto nas colunas que contam com o espaço destinado às propagandas.

2. Instagram Ads

Na mesma linha do Facebook, o Instagram também possui a sua plataforma de mídia paga, chamada de Instagram Ads. Hoje, sem dúvida alguma, essa é a rede social com maior visibilidade, sendo que boa parte dos seus perfis são contas comerciais.

Sem dúvida alguma, o grande desafio dos profissionais de marketing atualmente é saber gerar um bom resultado no Instagram. Por esse motivo, é mais do que pertinente utilizar a sua ferramenta de remarketing, tanto no feed quanto nos stories, para trazer diferencial nesse canal de divulgação.

O Instagram está tão alinhado com essa missão que vem intensificando os recursos que facilitam a conversão dos usuários. Por isso, é mais do que recomendado para realizar vendas online.

3. Google Ads

Já falamos um pouco do Google Adwords em um dos tópicos anteriores e, agora, vamos reforçar que é possível sim fazer remarketing com essa ferramenta, que oferece funcionalidades muito interessantes. Destacamos, aqui, as plataformas do Google Shopping e YouTube.

Ou seja, considerando os aspectos já abordados neste guia, você sabe que há uma boa variedade de opções para anunciar, fazer remarketing e vender mais na internet com a ajuda do Google.

4. Criteo

Uma das plataformas especializadas somente em remarketing é a Criteo, que é utilizada por grandes empresas com o intuito de intensificar cada vez mais o seu plano de marketing, colocando força total nas ações de divulgação e venda de produtos.

O grande diferencial da Criteo é que a ferramenta utiliza o recurso de inteligência artificial para mostrar os anúncios mais relevantes para o usuário, tudo isso em tempo real. Hoje, a Criteo é uma das plataformas mais bem estruturadas para fazer remarketing.

5. AdRoll

Outra ferramenta relevante é a AdRoll, que, inclusive, é uma das pioneiras em remarketing e retargeting desde que essa possibilidade surgiu. É tão conceituada que virou parceira oficial do Facebook na missão.

Saiba que, mais do que uma ferramenta de remarketing, a AdRoll é uma solução completa em marketing digital e divulgação de anúncios. Estamos falando, por exemplo, da possibilidade de aplicar retargeting por e-mail e nos aplicativos mobile, bem como a possibilidade de exibir anúncios no Facebook.

Esses pontos que citamos são vantagens que a maioria das outras ferramentas não possuem, por exemplo.

6. Ferramentas de automação de e-mail

Por fim, não poderíamos deixar de citar as ferramentas de automação de e-mail como bons recursos para fazer remarketing. Afinal, o e-mail está longe de ser um canal de comunicação obsoleto, sendo muito utilizado pela maioria dos usuários da internet, além do fato de que oferece uma ampla possibilidade de fazer remarketing, como você já sabe.

Então, tenha em mente que contar com o apoio de uma ferramenta de automação de e-mails é o ideal, pois com elas é possível segmentar bem a base de leads, desenvolver uma estratégia completa, criar jornadas de compra e automatizar os processos de disparo de e-mails de modo que as boas práticas do remarketing sejam utilizadas.

Fica, então, a nossa recomendação de que você invista nesse tipo de recurso, principalmente, como um diferencial competitivo para a sua empresa.

Deu para perceber o quanto o remarketing é um recurso importante para as marcas que precisam divulgar os seus serviços e produtos pela internet, não é mesmo? Reforçamos que a prática ajuda a trazer cada vez mais consumidores que se interessam pela suas ofertas.

Ficou interessado em saber mais sobre marketing digital lendo este guia sobre remarketing? Então, não perca tempo e assine a nossa newsletter: assim, você ficará por dentro de todas as atualizações do blog!

    • Receba nosso conteúdo em primeira mão.