Negócios

Qual é o perfil do profissional para trabalho remoto?

Por: Mutant, dezembro 20, 2018

O trabalho remoto, muito conhecido pela modalidade do home office, pode parecer um sonho para muitos profissionais. Livrar-se do trânsito, ser dono do próprio tempo, reduzir o custo de vida e valorizar a produtividade são alguns dos benefícios da nova relação entre as empresas, o seu capital humano e a tecnologia.

Essa é uma realidade cada vez mais presente nas empresas brasileiras, ainda mais considerando o cenário de epidemia do coronavírus (covid-19), que motivou a migração de muitas companhias para o trabalho remoto. O impacto é realmente forte: segundo a FGV, o home office deve aumentar em 30% no mercado após a estabilização da crise.

Mas será que estamos preparados para dar essa guinada e adaptar as atividades profissionais para operações eficientes a distância? Vamos contribuir com o debate com este conteúdo sobre o perfil do profissional para trabalho remoto. Confira!

O perfil do profissional para o trabalho remoto

Primeiro, mesmo que o formato seja uma alternativa promissora em termos de escala e produtividade, é importante observar que nem todas as atividades profissionais são coerentes com o trabalho remoto.

Também temos de entender que estamos falando de um trabalho que não acontece somente em casa. Isto é, quando o período de isolamento social terminar, teremos a possibilidade de ação remota em coworkings e escritórios de empresas e clientes parceiros, por exemplo.

Agora, falando do próprio profissional, atuar fora do escritório abrange uma variedade de aspectos que impactam a rotina, como:

  • novos modos de relacionamento consigo e com as outras pessoas;
  • responsabilidade e compromisso para cumprir demandas dentro do prazo;
  • capacidade de autogestão de resultados.

Para atuarem de modo alinhado com as empresas, os colaboradores que vão aderir a esse regime precisam investir em algumas características. A seguir, você vai entender as principais habilidades que o profissional para trabalho remoto deve desenvolver.

Independência

Uma das principais características de quem pretende colocar em prática o trabalho remoto é a autonomia. O profissional que precisa do aval de um superior para desempenhar as suas funções deve esquecer essa ideia, ou se esforçar para tornar a mudança possível.

A independência é fundamental para que o trabalho seja organizado longe do escritório, sem precisar que um líder acompanhe todo o fluxo das tarefas desempenhadas. A boa notícia é que essa capacidade pode ser desenvolvida com o tempo, usando ferramentas que ajudam na comunicação com a equipe e na gestão dos processos ou da sua agenda.

Assim, o profissional vai estar apto para tomar decisões estratégicas e importantes, com autonomia e responsabilidade, sem que haja necessidade da interferência de um gestor.

Disciplina

Esse ponto está diretamente ligado ao nível de profissionalismo. Se, mesmo trabalhando em um escritório, muitas pessoas têm uma grande tendência a se distrair com redes sociais, sites de notícias, mensagens em grupos de WhatsApp e conversas paralelas, imagine fora dele, sem o olhar de um gestor?

É preciso ter autodisciplina para não cair na tentação de procrastinar. Estruturar um ambiente específico destinado ao trabalho remoto e organizar bem a agenda de tarefas são atitudes que ajudam na adaptação.

Além disso, o profissional tem que ser comprometido com os resultados que deve entregar à empresa ou aos clientes. Pode parecer bobagem, mas essa disciplina começa na maneira como ele se veste e se comporta enquanto está trabalhando — mesmo estando sozinho, em casa.

Se permanecer de pijama, por exemplo, ou não tiver cuidados básicos com higiene, com o visual, com alguma forma de regrar a alimentação e o sono, dificilmente vai conseguir criar uma rotina satisfatória. A postura diante do trabalho remoto tem ligação direta com os resultados.

Tudo isso tem a ver com a credibilidade que passa à empresa ou ao cliente. É possível, sim, aliar o conforto de estar em casa ou em um ambiente menos rígido, mas conservar uma atitude profissional.

Organização

A forma como o profissional mantém o seu ambiente de trabalho reflete o seu estado interior — e o contrário também é válido. Quem opta pelo home office precisa ser muito organizado e deixar a mesa arrumada, a fim de encontrar facilmente os materiais necessários para desenvolver suas funções.

Outro ponto de atenção é a separação entre a vida pessoal e profissional. Isso significa que qualquer pessoa pode atuar próxima dos filhos, por exemplo, mas deve criar mecanismos para que eles entendam e respeitem os horários. O mesmo vale para os amigos ou colegas que ocupam o mesmo espaço de coworking, se essa for a sua escolha.

Também entra nesse tópico a organização das tarefas, efetivamente. Elencar prioridades, elaborar agendas diárias, semanais e mensais com os objetivos são exemplos do que deve ser feito para que o trabalho remoto funcione bem para todos.

Utilizar ferramentas de produtividade ajuda muito nesse processo. Há também uma série de aplicativos e softwares que podem ser usados a favor do trabalhador para armazenar materiais, organizar e otimizar o tempo etc.

Gestão dos resultados

Como vimos, uma das grandes vantagens do trabalho remoto é ter autonomia para desenvolver as funções sem a necessidade de um gestor para acompanhar todo o processo. Mas é preciso saber com clareza quais são os resultados esperados e entender que a gestão do desempenho deve ser um foco a ser perseguido continuamente.

Nesse sentido, é importante entender como atuar em equipe, mesmo não estando presente na empresa. As reuniões e as ferramentas de comunicação e de gestão de processos em nuvem devem ser aliadas do profissional, para um melhor aproveitamento do tempo e da troca de informações.

Adequação emocional

Por fim, é preciso fazer uma autoanálise profunda antes de decidir que está apto a trabalhar à distância e entender se o profissional tem o perfil adequado para essa atuação fora do escritório. Como mencionamos, nem todas as pessoas têm as habilidades necessárias para isso, apesar de ser possível adquirir algumas delas ao longo do processo.

O trabalho remoto exige uma mudança de comportamento e das formas de interagir com as pessoas, para que funcione bem tanto para o empregado quanto para a empresa ou para o cliente que vai atender.

Um dos desafios, por exemplo, é o de saber lidar com a solidão. Por isso, é importante investir em encontros com os colegas de equipe, reuniões e participação em grupos corporativos por meio das redes sociais e aplicativos de mensagens.

Como fazer gestão de equipes à distância?

Já os gestores das equipes que trabalham remotamente precisam estar preparados para alcançar a produtividade desejada. É importante adotar as práticas necessárias para gerir os colaboradores e utilizar as ferramentas certas.

As equipes remotas necessitam do acompanhamento de um líder para que não prejudiquem as operações e o faturamento. Veja, a seguir, as principais dicas para controlar de modo eficiente as atividades dos trabalhadores que executam tarefas a distância!

Controle de processos

É indispensável acompanhar e medir a produção de cada colaborador, estabelecendo prazos para o cumprimento das tarefas. Dessa forma, fica mais fácil acompanhar o andamento e conferir se a entrega seguiu os parâmetros estabelecidos.

Existem ferramentas que facilitam o controle dos processos internos com a aplicação de variadas tecnologias. Os recursos auxiliam no suporte da mensuração dos resultados do seu time, oferecendo detalhes de tempo gasto em atividades e gerando relatórios.

Centralização da comunicação

Um canal de comunicação confiável precisa ser estabelecido para atender a equipe nas suas dúvidas e dificuldades. Se não há possibilidade de agendar reuniões presenciais, as videoconferências diárias são a melhor alternativa. Elas geram comprometimento e permitem a visualização de expressões, facilitando a compreensão mútua.

Atualmente, podemos acessar ferramentas específicas para a comunicação em grupo com base na nuvem. Logo, está mais fácil monitorar conversas, dividir tarefas, criar prazos e estabelecer níveis de prioridade entre os colaboradores, mesmo remotamente.

Seja qual for o sistema escolhido, é importante que as orientações de comunicação sejam alinhadas e estratégicas, para que o escritório virtual esteja unificado em prol de metas coletivas.

Feedback contínuo

O canal de comunicação estabelecido pode ser utilizado para compartilhar críticas, elogios e sugestões com o time. Apesar do encontro não ser presencial, é relevante oferecer retorno pessoalmente sobre o desempenho da equipe. Se for necessário um feedback complexo, o conteúdo pode ser gravado em áudio para facilitar a compreensão dos ouvintes.

Medição e adaptação

Os colaboradores podem passar por um treinamento de adequação ao home office, o que vai facilitar a adaptação dos talentos captados pela empresa. Mas depois de estarem adaptados ao sistema, precisam ser informados sobre as medições de eficiência e o controle dos processos.

Vale a pena tratar do assunto com objetividade, para que todos entendam que são responsáveis pelo desenvolvimento da empresa. Por outro lado, isso vai servir de incentivo, estimulando equipes na melhoria constante de suas operações. A medição da performance possibilita a avaliação do sucesso dos projetos.

Quais são os principais indicadores de desempenho?

A avaliação das atividades dos colaboradores em modelo de trabalho remoto requer o uso de um sistema de métricas específico, que contribua para o alinhamento entre a empresa e os profissionais.

Se as metas aplicadas e os indicadores de desempenho forem estruturados de acordo com as características do modelo de negócios e das equipes, os resultados serão impactados positivamente.

Vamos fechar essa reflexão conhecendo os principais índices para uma boa gestão do trabalho a distância?

Horário de trabalho

Um indicador de desempenho utilizado pelos gestores para fazer o mapeamento de jornada é o horário efetivo de trabalho, que, de acordo com a legislação vigente, deve ser indicado pelo empregador e obedecido pelos funcionários. Portanto, é imprescindível encontrar a maneira ideal para acompanhar o início do expediente, bem como o seu término.

Foco na experiência do consumidor

Os gestores conseguem gerenciar e monitorar o atendimento ao cliente de modo individual ou coletivo acompanhando a jornada de aquisição de serviços ou produtos. Dessa maneira, conseguem identificar em tempo real se os operadores estão comprometidos em manter a performance de vendas, atender com empatia e solucionar as dificuldades dos consumidores.

Plataforma eficiente

Em tempos de transformação digital, o uso de um sistema integrado e de plataformas eficientes é a melhor saída para termos acesso aos dados e aos históricos dos canais de comunicação. Essas soluções permitem o monitoramento de interações e a troca de informações com agilidade e ainda podem ajudar no desenvolvimento de planos de ação e na criação de estratégias.

Entendeu quais são as principais características do perfil do profissional para trabalho remoto? Já há várias profissões que conseguem se adaptar perfeitamente a esse formato — inclusive, nem todas estão ligadas aos segmentos de tecnologia e comunicação, como se pode imaginar.

Por fim, tenha isto em mente: antes de aderir a essa forma de atuação, um estudo profundo do perfil do colaborador e dos planos da empresa é essencial.

Gostou deste conteúdo? Curta a nossa página no Facebook e veja mais dicas de como promover boas experiências nos times da sua empresa!

    • Receba nosso conteúdo em primeira mão.